Posted by : CanasOminous 8 de jul de 2016



Fazia um silêncio perpétuo na noite, sua irmã estava dormindo na sala sob a luz baixa de um lampião e o chiado repetitivo do rádio. Hal subiu as escadas na ponta dos pés com o Popplio quase caindo de seus braços, o Pokémon resmungava e estava louco para ser colocado no chão, mas se lhe fosse dada essa oportunidade, Hal tinha certeza de que alguma coisa sairia errado e não conseguiria causar a boa impressão que precisava.
Tudo que tinha de fazer era convencer Miliani a aceitar mais um membro na família. Ela era a nova alfa, era ela quem decidia as coisas
Abriu a porta com todo cuidado possível e nenhum ruído se fez ouvir. Ficou descalço para que os chinelos não fizessem barulho em contato com a madeira e conseguiu atravessar a sala até seu quarto com sucesso. Assim que ele pôs Popplio no chão, o Pokémon observou os arredores interessado, mas não fez nada. Ele só andava de lá para cá, como se estudando o ambiente. Hal pediu mais silêncio que o necessário com a ponta do indicador e fechou a porta com cuidado, voltando para a sala para tentar acordar a irmã, Dia dormia tranquilamente entre as pernas da mulher e tudo estava calmo e tranquilo até então. Talvez fosse melhor esperar o dia seguinte quando ela estivesse menos cansada, mas também não queria que ficasse ali na sala sem o mínimo de conforto, por isso trouxe-lhe um cobertor e um travesseiro. Sem abrir os olhos, Miliani se acomodou e agradeceu o gesto de carinho.
— Não precisava...
— Precisava, sim. Você arrumou a casa inteira e cuidou de tudo. Acha que é fácil? — falou o irmão mais novo com um sorriso.
— Não quis jantar hoje? — ela perguntou, sonolenta. — Fiquei esperando.
— Desculpe. Eu estava ocupado conversando com alguns amigos meus — Hal omitiu o fato de ter ido encontrar-se com Ika e Uko. Nunca falara sobre eles com a irmã. Na verdade, ela também nunca perguntara quem eram os tais “amigos”. — E a propósito, eu os convidei para virem aqui no fim de semana comer pizza, tudo bem?
— Claro, querido — Mili respondeu, mas ela estava mais dormindo do que acordada e provavelmente não se lembraria de nada no dia seguinte. — Me ajuda a levantar?
Hal deu apoio para que sua irmã ficasse de pé, ainda  meio cambaleante. Quando a viu passar reto pelo corredor do seu quarto e ir direto para a cozinha, imediatamente ele correu e ficou em sua frente na tentativa de impedir o progresso.
— Não precisa preparar nada para eu comer, juro que estou sem fome!
— E quem disse que eu ia fazer algo pra você comer? — Mili deu um sorriso de canto. — Gosto de cuidar de você, mas você já é grandinho para algumas coisas, não sou a mamãe para te mimar toda hora. Só vou preparar um suco na geladeira.
— E-eu pego pra você.
Ela arqueou uma das sobrancelhas.
— Hal. Você não sabe mentir. O que você aprontou?
— Nada.
— O que você quebrou?
— N-nada.
Ouviu-se o barulho de vidro trincado na cozinha, e subitamente todo o sono de Miliani desapareceu. Ela dobrou o corredor e se deparou com a porta da geladeira entreaberta e três dos potes de comida esparramados no chão. Os peixes congelados estavam mordidos pela metade e o chão da cozinha que fora limpado naquele mesmo dia agora estava  sujo e fedendo à feira de domingo.
Hal saía de mansinho quando sentiu alguém puxar-lhe pela camisa.
— Ninguém dorme enquanto essa cozinha não estiver brilhando, ouviu?
— C-claro, com o maior prazer... — sua voz era mansa, em contrapartida com a de Mili que primeiro respirou, e por fim extravasou como um vulcão que entra em erupção.
— Como é que você consegue ser tão desastrado, Hal?! Olha só pra isso, parece que entrou um jacaré na cozinha destruindo tudo! Lembra daquela vez o Salandit foi atraído aqui para dentro e tivemos que chamar os policiais da vila para retirarem ele em segurança? E quando fomos atacados por um bando de Cutiefly selvagens e precisamos dedetizar a casa inteira?! Lembra como eu fiquei irritada? ENTÃO. Some daqui.
Hal já corria para seu quarto quando outro barulho foi ouvido, agora na sala. Se dessa vez os dois estavam presentes, quem estaria aprontando? Mili foi atrás da porta da cozinha e retirou dali um taco de baseball que deixava pronto para emergências. Hal suava frio. O abajur de Lanturn próximo à mesinha de canto estava no chão e o tapete de Stunfisk virado do avesso. Miliani estava para acionar a polícia quando um furacão passou debaixo de suas pernas e a derrubou no chão, indo correndo na direção de Hal que o pegou nos braços e desapareceu dali.
— Não acredito que você trouxe outro Pokémon para dentro de casa! — Mili gritou, furiosa.
— Mas ele precisa de mim! — uma voz distante ecoou em algum lugar na varanda.
— Eu já disse que não podemos cuidar de ninguém se não conseguimos tomar conta nem de nós mesmos, Hal! Já não basta o Dia comendo e roncando na sala!
— ...mas o Dia nos faz mais felizes!
— Às vezes acho que já temos felicidade o suficiente.
Miliani escondeu-se estrategicamente atrás do sofá, e assim que Hal apareceu ela pulou em cima dele na tentativa de agarrá-lo. Dia despertou na hora e começou a latir, pulando de um lado para o outro na tentativa de fazer com que os irmãos parassem a briga. O Pokémon que estava nos braços do mais novo acabou rolando e transformando-se em uma bola que girou para fora da casa e despencou escada abaixo. Os dois arregalaram os olhos e foram correndo ver o estrago que causaram.
— Meu Arceus, matamos o bicho! — gritou Mili.
O Popplio estava estirado no final da escada com a língua para fora. Dia começou a cheirá-lo, Mili estava para entrar em estado de choque. Hal ajoelhou-se perto da criatura e o cutucou com um graveto.
— Vish, olha só isso... Tá mortinho da silva.
— F-foi sem querer! Ninguém mandou você me assustar, primeiro eu pensei que fosse um bandido ou então outro Salandit gigante, aí você me aparece com um Popplio  sabe-se lá de onde! O que fazemos agora, Hal?
— Pegue a pá.
— O que você pretende fazer com uma pá? — Mili perguntou, desconfiada.
— O que você acha? Enterrar o pobrezinho. Se bem que a chance do Dia encontrar o buraco e desenterrá-lo durante a madrugada também é enorme, então teríamos de ter que conviver com um cadáver perambulando pela casa... Não é como se fosse novidade para ninguém, afinal, já estamos meio que acostumados com fantasmas na família, não é?
Miliani estava prestes a arrancar seus cabelos. Quando Hal se deu conta de que os olhos da irmã ficaram marejado, percebeu que a situação estava saindo do controle, e se havia algo que ele detestava era ver seu único porto seguro desabar.
— Ah, não... Mili, não faça isso.
— Desculpa — sua voz falhou e foi levada pela brisa do oceano.  De verdade, foi sem querer.
No momento seguinte, o Popplio abriu um dos olhos e deu um salto para trás, esticando as nadadeiras para o alto, como se aguardando os aplausos da plateia. Miliani olhou para o Pokémon que estava vivinho da silva, depois para o irmão que se segurava para não cair na risada, depois para Dia que babava ao seu lado.
— Vocês me enganaram — ela afirmou, mas a ficha ainda não tinha caído e ela precisava de uma confirmação. — Vocês estavam encenando.
Nesse momento Hal não se aguentou de rir. Se houvessem vizinhos ali por perto ele certamente teria acordado todos eles, Popplio se gabava por suas habilidades teatrais e Dia balançava o rabo sem entender o que tinha acontecido.
— Ele não é o máximo? Podia até ser ator! Qual é, estava claro que não tinha acontecido nada, mas você começou a levar tão a sério que eu entrei na brincadeira! — Hal tentou explicar entre seus surtos e falta de ar. — Não ficou brava, né?
— Vocês quase me fizeram chorar.
— Heh, heh. Pelo menos foi engraçado, não é?
O sorriso desapareceu no rosto de Miliani, quando ela subiu para a cozinha e só voltou depois de encontrar seu taco de baseball. Popplio e Hal se entreolharam, e nesse momento tiveram certeza de que estavam encrencados.


O sol escaldante ardia lá fora, eram oito horas de um dia típico em Alola, perfeito para uma tarde com os amigos na sorveteria. Kailani não cansava de bater na porta, já estava ali esperando fazia cinco minutos e, impaciente do jeito que era, não queria esperar nem um segundo a mais. Quando estava para começar a gritar, a porta abriu-se e ela se deparou com Miliani toda descabelada em sua frente, ainda vestida com os pijamas da noite anterior.
— Bom dia, meu lírio do campo! Uau, essa é aquela camisola branca que eu te dei? Lembro do dia que a escolhi, fica muito bem em você.
Miliani não respondeu, seus olhos se fechavam automaticamente, carregados por olheiras e o entusiasmo de alguém que passou a noite em claro. Kailani respirou fundo e foi entrando para preparar uma xícara de café para ela. Ao chegar na sala encontrou Hal que brincava no chão junto do Rockruff e uma nova visita. Parecia que sua irmã finalmente fora convencida de deixar o Popplio passar uma noite na casa.
— E aí, guri! Quem é o seu novo amigo?
Popplio foi pulando até ela, e quando Kailani ajoelhou-se para ficar na mesma altura o Pokémon beijou sua mão num gesto teatral.
— Nossa, e pelo visto ele é dos românticos! A-D-O-R-E-I — disse Kailani, dando um forte abraço na criatura. — Que demais, eu não imaginava que algum dia a Mili deixaria outro Pokémon entrar nessa casa!
— Nem eu — respondeu Hal, olhando para a sala que só estava organizada porque alguém passara a noite inteira arrumando a bagunça e controlando três crianças exaltadas. Miliani agora dormia de pé no encosto da porta da cozinha.
Kailani sorriu e voltou-se para o garoto ao dizer:
— Combinamos de tomar sorvete hoje.
— Aproveitem. O dia está mesmo muito bonito — respondeu Hal, recebendo um empurrão de leve no ombro.
— E acha que eu não levaria meu cunhadinho junto? Sei que faz um tempão que você está morrendo de vontade de passar na sorveteria VaniDelluxe e preparar um belo sorvetão daqueles com direito a calda de chocolate, flocos, guloseimas e quatro bolas de diferentes sabores! Malhei a semana inteira por este momento. Hoje é por minha conta, e vamos levar os Pokémon junto!
Hal abriu um sorriso de orelha a orelha, e Mili soube que não conseguiria dormir naquele dia de qualquer maneira.

Foram necessárias algumas horas de preparo, desde a maquiagem reforçada até a escolha da roupa perfeita para sair. Pentear o cabelo, escolher os biquínis perfeitos, preparar as bolsas e, finalmente, depois de dois copos de café, Mili estava pronta para passar um dia agradável ao lado do irmão e de sua melhor amiga. Dia já carregava a coleira na boca, e Popplio não conseguia conter sua ansiedade. Hal colocou seus chinelões e vestiu só uma camisa e sua sunga. Por um instante lembrou-se de quando seus pais o levavam até a maior cidade de Alola na ilha norte, adorava viajar de barco e sentir o vento na cara, e qualquer lembrança daquela sensação confortava seu coração.
O dia estava perfeito para uma caminhada, não era temporada de turistas, logo poderiam aproveitar cada atração da cidade sem ter que competir por uma mesa e duas cadeiras num barzinho mixuruca. Aos poucos Miliani foi se sentindo renovada, ela sorria muito mais quando estava ao lado de Kailani, as duas eram como o sol e a lua, e Hal não conseguia imaginar sua vida sem elas.
A sorveteria VaniDelluxe tinha mais de cinquenta sabores diferentes, incluindo alguns bem exóticos como gosma de Muk e ferrugem de Klinklang, quem ousou provar diz até que eram deliciosos, e gosma na verdade era só uva enquanto ferrugem algum tipo de creme com flocos. De fato a sorveteria fazia sua fama por atender tanto os gostos tradicionais quanto os diferenciados com algo diferente para cada tipo existente no Mundo Pokémon.
Miliani ficou só no chocolate tradicional enquanto Kailani pegou duas bolas de Sitrus Berry mais leves. Hal misturou doce de leite de Bidoof, baunilha de Reshiram, morango de Ditto e leite condensado de Miltank, sempre que tinha a chance de visitar a sorveteria provava um sabor inédito. Dia estava sem a coleira e mesmo assim não se distanciava, ele ficava andando na rua e chamando a atenção das pessoas que passavam por perto junto do Popplio que adorava se exibir para o público. O ventilador no teto não era o suficiente para aliviar o calor, Kailani sentia seu corpo suar, mas quando olhava para a amiga ao seu lado só conseguia pensar no quanto aquilo era sexy e em como gostaria de estar abraçada a ela.
— Já imaginaram se nós vivêssemos em uma região fria como Sinnoh? — perguntou Miliani. — Eu estava lendo numa revista outro dia que estão construindo um hotel de luxo chamado Deluxe Heart na cidade de Hearthome, eu gostaria de ter a chance de visita-lo algum dia da minha vida.
— Não acho que eu aguentaria viver sem o calor — respondeu Kai. — E tem mais, não tenho vontade alguma de deixar Alola. Adoro o sol, adoro vestir roupas curtas, adoro o povo  hospitaleiro daqui e fazer programas como esse. Se vivêssemos em um lugar que neva metade do ano, ninguém iria tomar sorvete! Seria melhor ficar em casa debaixo do cobertor trocando carícias.
— Eu acho que nós faríamos um baita sucesso — brincou Hal. — Digo, olha só para a nossa pele! Já estou com marcas de camiseta só de vir pra cá. Bem que eu devia ter passado protetor solar em casa, como a Mili falou...
Os três riam e ficaram à toa naquela tarde monótona quando dois surfistas também chegaram ao VaniDelluxe. Eles se sentaram em uma mesa ao lado das garotas, e por um breve instante Mili trocou olhares com um deles. Ele era bem alto e bonito, com cabelos loiros e olhos azuis, de uma beleza típica dos turistas; estava sem camiseta e tinha um peitoral definido, sem contar que andava por aí de sunga vermelha só para chamar a atenção mesmo. Ele era tão bonito e atraente quanto um salva-vidas que Miliani tivera alguns rolos no verão passado. O outro amigo praticamente desaparecia ao seu lado. Sua atenção só foi desperta quando Kailani fez um estalo com os dedos.
— Ei, seu sorvete tá derretendo.
— Ah! — Mili enfiou a colher inteira na boca e sentiu sua garganta congelar.
— Eita, vai com calma, linda! Desse jeito vou ficar com inveja — Kailani riu, principalmente depois que sua amiga fazia caras e bocas. — Vou comprar uma água para você e já volto.
Kailani havia se distanciado. Hal comia seu sorvete, mas não prestava muita atenção no que acontecia ao redor. Mili decidiu que daria uma espiada por trás da franja, e quando virou-se notou de imediato que o turista mais atraente olhava para ela. O contato visual foi um acidente. Má ideia. O outro rapaz riu e coçou a barba, mas foi o loiro quem ofereceu seu refrigerante para ela.
— Melhor você tomar isso antes que sua garganta congele.
— Obrigada — Miliani agradeceu e bebeu tudo numa só golada.
— Ei, acha que eu e meu amigo poderíamos nos sentar com vocês?
— É claro. Quer ajudar para juntar as mesas?
— De maneira alguma, uma dama como você não precisa fazer força!
Aconteceu rápido demais. Dois estranhos agora se uniam a eles e falavam sobre suas vidas, o que faziam na região e como adoraram Alola na primeira vez em que estiveram lá. Hal observava tudo, quieto. Quando Kailani voltou com a garrafa de água na mão, viu que sua amiga  estava perto demais de um cara sarado sem camiseta que parecia bem preocupado em fazê-la sorrir e sentir-se à vontade. Eles mal tiveram tempo de se apresentarem quando Miliani viu nos olhos da amiga que eles não eram bem vindos.
— Oi, Kai! — ela ficou de pé no mesmo instante.  Espero que não se importe, mas convidei estes dois rapazes para se unirem a nós.
— É. Tá. Bacana. — a amiga respondeu com um sorriso forçado. — Quem são vocês?
— Putz, que vacilo, não nos apresentamos! — disse o rapaz loiro. — Eu sou o Dylan, e esse é meu mano Izrael “IZ”. Nós somos nativos de Hoenn e estamos aqui de férias, Alola é a melhor região do mundo pra pegar umas ondas!
— É irado — respondeu o sujeito que tinha cabelos bem longos que desciam pelo seu rosto e se misturavam com a barba malfeita. Ele falava de forma bem lenta e com sotaque carregado, fazia gestos estranhos com a mão e vivia balançando a cabeça, como se estivesse viajando em outra dimensão.
— É. Irado. — A voz de Kailani saiu seca. — Tá aqui sua água. Vou ao banheiro.
Ela praticamente enterrou a garrafinha na mesa e saiu no mesmo instante. Dylan deu uma risadinha e Iz riu só para acompanhar enquanto Mili se desculpava pelas atitudes da amiga.
— Ela é bem esquentadinha, né?
— Digamos que seja só um pouco... ciumenta — respondeu Mili, ajeitando o cabelo atrás da orelha. — Mas não se preocupem com isso, se tiverem a chance de conhecê-la vão ver que ela é um amor!
— Então seu nome é Miliani? Desculpe a apresentação informal, é que dá para ver de longe esse seu cabelo prateado, e eu nunca vi uma garota com a cor assim! Você pinta ou é natural? Parece até uma celebridade. Adorei o contraste com a sua pele.
— Achei irado — repetiu Izrael, balançando a cabeleira.
Mili sentiu o rosto ficar tão vermelho quanto uma maçã de tanta vergonha. Adorava quando falavam de seu cabelo.
— Bem, a história é meio boba, vocês não iriam querer ouvir...
— Eu ficaria ouvindo você falar o dia inteiro, se pudesse.
Hal engasgou com o sorvete e teve que levantar-se para não vomitar. Dylan deu alguns tapinhas em suas costas.
— Vai com calma, pivete! Qual é o seu nome?
— É Hala Kameahookohoia, moço. Mas todo mundo me chama só de Hal mesmo.
—  Caramba, como é que você lembra de escrever tudo isso na prova? Hah, hah. E você é o que exatamente dessa formosa princesa de lindos cabelos prateados?
— Marido.
Dylan e Izarel começaram a rir enquanto Miliano corava, mas dessa vez de vergonha. Ela trocou um olhar severo com o irmão, como se pedindo para que ele parasse com a brincadeira.
— Saquei, então você curte as mais velhas, não é? Um pouco de experiência é sempre bom.
— Ele é só meu irmão mais novo — respondeu Mili com pressa, como se tivesse o intuito de deixar bem claro que não tinha um relacionamento com ninguém. Pelo menos até agora.
— Na verdade eu sou o segurança delas — Hal entrou na brincadeira.  Pode não parecer, mas eu tenho a força de um Tyranitar, corro rápido como um Arcanine e nado como um Gyarados!
Dylan bateu na mesa e esticou a mão para ele:
— Maninho, eu já gosto de você! Precisamos surfar qualquer dia desses!
— Surfe é o meu segundo nome.
— Pensei que fosse Kameahookohoia — Izrael coçou sua barbicha. —  Mas Hala Surfe também é irado.
Emendando no assunto, Dylan afastou-se da mesa e ergueu sua perna direita sem muita classe, só para mostrar uma cicatriz que ele tinha mais ou menos na altura da panturrilha e que subia quase até sua coxa.
— Tá vendo isso aqui? Essa cicatriz é um troféu, mano. Uma vez eu estava surfando nas praias em Hoenn e fui atacado por um Huntail das profundezas. Ele me mordeu e quase arrancou a minha perna, tive que tomar quase cinquenta pontos, e o desgraçado inclusive deixou um dente preso na minha pele, dá uma olhada!
Dylan ergueu seu colar e mostrou um dente de Huntail preso na ponta. Um Deep Sea Tooth autêntico. Hal reconheceu aquela preciosidade no mesmo instante, e tanto ele quanto Mili se encantaram com a história.
— Minha nossa, você poderia ter perdido a perna de verdade? — disse a irmã. — Assim você nunca mais poderia surfar!
— Podia mesmo. Mas se tivesse mesmo acontecido, acredite, eu daria um jeito. Poderia ter sido um Sharpedo, mas quer saber? Se fosse, eu teria acertado ele bem no nariz. Não existe Pokémon selvagem que me impeça de pegar uma boa onda, onde haja um desafio eu estou lá para superá-lo!
— Posso ver seu colar? — perguntou Hal.
— Claro, maninho.
Eles conversaram por tanto tempo que nem se deram conta de que Kailani demorava para voltar. Talvez ela tivesse saído para dar uma volta e tomar um ar fresco, e quando Mili pensava em ir atrás dela, percebia que estava tão entretida que jamais poderia deixar alguém tão bacana quanto Dylan ficar sozinho. E ele não era gentil apenas com ela, ao notar que Hal estava fissurado pelo dente de Huntail, fez-lhe uma oferta irrecusável.
— Por que não fica pra você, cara?
— Eu não poderia — respondeu Hal. — Esse dente é um troféu seu, são memórias. Não podemos abandonar memórias assim tão facilmente.
— Mais do que essa cicatriz que vai me acompanhar pro resto da vida? É só um dente, parceiro, se prometer que vai guardar direitinho creio que fará melhor uso do que eu.
Hal olhou para Miliani, como se pedisse permissão para aceitar a oferta.
— Com uma condição — Dylan abriu uma ênfase. — Só se sua irmã me convidar para jantar qualquer dia desses. Que tal amanhã?
Mili prendeu a respiração e Hal caiu na risada. Por mais que achasse aqueles dois bem esquisitos a princípio, estava começando a gostar deles. Izrael balançou a cabeleira e concordou.
— Pô, mano, um jantar ia ser irado!
Dylan deu uma forte cotovelada nas costelas do amigo.
— Quero dizer, pô, mano, tô ocupadão amanhã... Nem vou poder ir. Foi mal.
— Perfeito! Só nós dois num jantar ao luar, faço questão de levá-la ao restaurante mais caro em Alola!
— Mas eu não posso deixar o Hal sozinho em casa — respondeu Mili.
— Ele não pode ficar com seus pais uma única noite?
— Nossos pais morreram.
O silêncio foi constrangedor. Até Izrael que era meio lento percebeu que era hora de ir embora. Dylan levantou-se, deu dois tapinhas no ombro do garoto e pediu que ele ficasse com o colar do dente de Huntail até que se reencontrassem. Em seguida, olhou para Mili, e naquela época não haviam celulares nem nada para que eles pudessem manter algum tipo de contato. Dylan usou um papel de guardanapo mesmo para anotar alguma mensagem secreta, e depois a deixou na mesa para que Miliani lesse com calma e pensasse com carinho no assunto.
— Bem, então... eu acho que a gente se fala depois   Dylan deu uma piscadela.
— Espere! Você vai continuar na ilha até quando? — ela perguntou.
— Até o fim do mês. Mas dependendo da ocasião posso estender minha estadia.
Dylan olhou para Hal e bagunçou seus cabelos mais uma vez.
— Cuida bem do meu amuleto, maninho. Que ele traga tanta sorte para a sua vida quanto trouxe na minha.
Assim que os dois foram embora, Miliani imediatamente abriu o guardanapo para ver o que estava escrito. Hal tentou espiar de relance, mas sua irmã escondeu na mesma hora.
— O que ele falou? O que ele falou?
Seus lábios tremiam e seus olhos estavam perdidos.
— Disse que adorou me conhecer. E para eu encontrá-lo perto nas pedras na Rocha do Wailmer.
— Quando? — Hal a pressionou.
— Hoje.
— Quem?
...e dessa vez era Kailani quem falava, que havia acabado de retornar. Miliani amassou o papelzinho e jogou-o no prato, tentando disfarçar.
— Onde você esteve esse tempo todo?
— Eu estava sentada duas mesas atrás naquele cantinho.
— Ah, então... você ouviu tudo?
— Eu lá tenho cara de quem quer se meter nesse assunto? Você acha mesmo que sou ciumenta? Nãooooo, imagina, eu, hein... A vida é sua! — respondeu Kailani de braços erguidos, dando as costas e falando de uma maneira claramente aborrecida. — E a propósito, me passa a comanda do Hal para eu pagar a conta dele. Você paga a sua.

   

{ 17 comentários... read them below or Comment }

  1. Yooooo Canas

    Eu de novo =]
    Hoje não atrasei ^-^

    Mano o shipp é real so digo isso XD

    Esse popplio é muito engraçado mano melhor poke de alola depois do Rowlet é claro.
    A Milani realmente não conhece pokemons porque eles aguentam raios,fogo,envenenamento,rochas e uma escada vai matar o bichinho?
    Te juro que eu li loiro e eu jurava que era o Stanley fazendo aparição em alola ja estavam falando em sinnoh mesmo XD
    Chorando de rir do Hala Kamehameha dizendo que é marido da Milani huashuashuas
    Kailani é muito ciumenta a Milani olho pro lado ela ja quase mata se bem que ela não só olhou pro lado rsrs
    Acho que se for fazer uma ficha da Kailani a musica tema seria "Ciumenta" com certeza rsrsrs

    Acho que só...

    See Ya

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The shipp intensifies! Cada capítulo que passa estou gostando mais de trabalhar com esses personagens, eles têm tantas características comuns como se fossem pessoas normais como qualquer outra. Estou tentando sempre trocar para não enjoar também, um pouco do Hal, um pouco de MilKai, um pouco de Ika e Uko, e por aí vou seguindo com o roteiro e experimentando personagens novos.

      Algo que adorei nos tempos de Sinnoh foi poder criar algumas localizações baseadas em pontos reais do game, como o Hotel Deluxe Heart em Hearthome, e acabou que estou construindo uma nova imagem de Alola em minha imaginação com a Sorveteria VaniDelluxe e a Baía do Rei, e só sei que vou sentir falta disso tudo quando os jogos lançarem e nada existir de verdade :')

      Rapaz, acho que o Stanley nem estaria vivo naquela época! kkkkkkkkkkk Mas agora que você comentou, seria irado demais se quem estivesse aí fosse o Palmer, o pai dele que fica na Battle Tower, quando era bem mais jovem. O problema é que aí eu estaria mexendo muito na linha do tempo da Aliança e não quero confundir mais ninguém. Mas quem, sabe, quem sabe... Acho que os leitores não iriam se importar se eu fizesse algumas modificações no capítulo, não é? :v Vira e mexe vemos atores sendo substituídos DO NADA nos filmes, novelas e seriados. Talvez mudar algumas vírgulas faça a diferença kkk

      Por enquanto criei só uma descrição pequena dos personagens, mas dependendo de como as coisas repercutirem eu faço uma ficha completa, com direito a cartão do treinador, imagens desenhadas por mim e todas aquelas coisas que fazem o povo adorar as fanfics de Pokémons em blogs! Agradeço a presença, companheiro. Até a próxima! :)

      Excluir
  2. EU QUERO VISITAR ESSA VAniDelluxe!!!! :3
    Neste momento eu quero um Baunilha de Reshiram, com morango de Ditto e leite condensado de Miltank! Não... Espera... Baunilha de Reshiram? Achei isso muito criativo kk Deixa adivinhar... Os donos desse bar são de Unova? Só penso isso pelo nome e ideia baunilha de Reshiram desse bar :3
    Gelado (ou Sorvete) é uma das minhas maiores perdições!!! (e bolachas de pepitas de chocolate americanas também só por curiosidade) Neste momento iria cair tão bem um Casteliacone ou umas Lava Cookies...

    Sobre o Capitulo...
    Não fui com a cara desses novos personagens, mas vamos ver o que vai sair dai...
    Eu já desconfiava que os pais deles morreram, pela forma como descrevia o assunto nos Capítulos anteriores... Mas eu não vou comentar meus palpites, senti que as minhas descobertas sobre o príncipe de Sellure bastou kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VaniDelluxe não pode faltar em Alola! kkkkkkkk Da mesma forma que Casteliacone e Lava Cookie são clássicos de Unova e Hoenn, quero ver todo mundo visitando essa sorveteria para provar dos sabores excêntricos kkkkk Vocês chamam aí de Gelado? Isso é tão legal, adoro saber essas diferenças nas palavras de Portugal, não conheço praticamente nenhuma, mas acho muito legal. Baunilha de Reshiram. Para ser bem sincero eu terminei o capítulo ontem de madrugada, e eram 4 horas da manhã, então eu meio que nem sei direito porque escolhi um Reshiram para representar o sabor kkkkkk Shiny Reshiram, também conhecida como Shii, Senhora das Baunilhas e das Terras de Dreamian!

      Esses caras são realmente muito estranhos, é bom ficar de olho neles! E interessante você notar que desde o primeiro capítulo ninguém havia mencionado de fato que os pais estavam mortos, eram apenas menções breves, mas nada que ficasse explícito demais. Eu acho que tanto o Hal quanto sua irmã são pessoas discretas, então não havia motivos até então para eles saíssem falando isso para alguém. Na escrita muitas vezes não precisamos deixar tudo explícito, eu li uma matéria certa vez que dizia que vivemos em uma geração de leitores preguiçosos e que tudo acaba sendo muito óbvio. Tenho tomado bastante cuidado com isso, ainda mais escrevendo em terceira pessoa, não precisamos nos prender aos pensamentos e sentimentos de uma única personagem.

      Obrigado pelo comentário, Shii! Vamos tomar um Casteliacone qualquer dia desses kkkkk :3

      Excluir
    2. POR FAVOR que a Game Freak lembre da existência das Lava Cookies e do Casteliacone em Alola D:
      A região ia ficar muito bem com algum sitio onde vendesse isso, talvez o pessoal que inventou esses gelados lá em Castelia City lembrou-se de expandir esse negocio para nova região (já que em B2 W2 parecia que eles estavam na falência)

      Eu amo esse género de referencia, construir ligações entre jogos, sou daquelas pessoas que prefere explorar as cidades e rotas, que aprecia bem o ambiente que eles transmitem, cada sitio, as pessoas e suas historias, a historia do jogo, explorar florestas com labirintos desafiantes, do que propriamente as batalhas e Pokémons em si, infelizmente eles estão dando maior importância ao competitivo do que a historia dos jogos e personagens... E acho isso de dar um pouco de Hoenn e Unova a Alola pouco provável...

      E já agora, tinha umas pessoas lá nuns blogs antigos que até me chamavam Rainha das Lava Cookies :3 bons tempos!

      Eu vou sentir falta da VaniDelluxe, saber que não existe ... Quem sabe, algum sitio parecido kkk
      Eu lembro que uma de minhas ideias para fanfics (e também para Dreamian) eram um cemitério com uma torre com um sino, o sino tocava-se em memória de quem falecei, depois em Unova eu conheci a CELESTIAL TOWER, eu não sou fã de fantasmas mas EU AMO ESSE LUGAR por ser uma ideia que eu tinha desde criança em mente, fiquei muito feliz em saber que tem um sitio muito parecido em Pokémon :3

      Isso foi um dos motivos que me faz amar Unova, e também que me dá vontade em escrever uma fanfic desse região, infelizmente nunca tive tempo para isso...

      Excluir
    3. Sempre fui muito apegado à história dos games de Pokémon também, Shii :3 Acho que depois de terminar o jogo a única coisa que mantém o pessoal ligado é o competitivo mesmo, e eu também tive meu tempo de montar times e Pokémons perfeitos para batalhas, mas agora sou apenas um fã que espera jogos novos pela história. Deve ser um efeito das fanfictions kkkk

      Celestial Tower é um lugar fantástico mesmo, acho que o que fez a galera amar Unova foi justamente a história além desses lugares incríveis! Nossa, e pior que fico louco quando tenho uma ideia muito bacana e de repente descubro que algum jogo, anime, filme ou história mais famosa já usou kkkkkkkkkkkkk Mas fazer o que, né? Vivemos em um tempo que é praticamente impossível sermos autênticos, parece que tudo já foi criado! Nos resta abusar da criatividade e de alguns clichês de maneira inusitada!

      Ah, talvez qualquer dia desses você arranje tempo de voltar a escrever alguma fic de Unova, né? Olhe só para mim, concluí Sinnoh, terminei o Ralph e voltei para o mundo das fanfics com Alola kkkkkkk É sempre bom estarmos revezando histórias, aproveitar novos personagens e ter novas ideias.

      Excluir
  3. '' — Saquei, então você curte as mais velhas, não é? Um pouco de experiência é sempre bom. ''


    Mais um para essa lista, isso é praticamente uma marca sua, tipo vamos ver uma pequena lista que eu consegui lembrar

    - Luke/Dawn
    - Lucas/Paula
    - Brendan / Courtney
    - Marco / Wiki
    - Canas / Fantina ou Sinnoh (OTP)
    - Ralph / Auria

    É acho que esta faltando um monte , melhor marca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você continuasse seguindo iriam lançar os jogos de Sun e Moon em Novembro e nós dois ainda estaríamos tentando listar todos os casais com mulheres mais velhas que eu criei kkkkk É uma marca com certeza cara, pior que eu acabo colocando inconscientemente porque é algo que me agrada, então o casal flui de uma maneira que fica fofo, e não forçado. Fazer casais onde a garota é mais nova às vezes rola, temos aí o Lee e a Hayley como exemplo, Eva e o Chaud, Glaciallis e General (se bem que esses dois têm alguns séculos de distância kk). Para mim o pior de todos é com certeza a mesma idade. Deus do céu, não dá. Não sai nada. Eu travo completamente. Deve ser um pavor meu como pessoa, visto que sempre tive problemas com as garotas da mesma sala que eu kkkkkkkkkkk

      Excluir
  4. TRIÂNGULO AMOROSOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO UHUUUL ADORO TRETA

    Shippo mais a Mili com a Kai (por mais que esse Dylan tenha me lembrado alguém, ele não vai entrar no meio do OTP). Eu quero saber como a Mili ganhou esse cabelo cor de lua (ou de sol?), será que foi num encontro com a Lunala? ou com o Solgaleo? espero que esse assunto seja tratado mais pra frente :v

    Gostei tb dessa jogada que vc fez de Ohana Dreams se passar um pouco antes de AES

    Só espero que não tenha (vai ter HDUSAHDSUAH) treta "amanhã" quando a Mili ver 2 desconhecidos na casa dela, junta ao Dylan e fazendo a maior cena, e a Kai só observando hsdauhdsuah E ainda bem que ela decidiu ficar cm o Popplio

    Já quero o Artwork (?) dos personagens novos >u<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU OUVI UMA TRETA CHEGANDO? kkkkkkkk Ah, cara, MilKai foi criado para ser OTP, essas duas formaram uma sincronia tão bonita que elas se tornaram minhas favoritas na mesma hora. Eu ainda nem tive tempo de mostrar um romance de verdade, estou plantando uma treta discreta, para quando elas tiverem um tempo para relaxar poder fazer um capítulo +16 que vai ficar, oh! Uma maravilha. Acho que uma das coisas que mais gosto de escrever é o carinho entre os personagens, seja por um gesto ou uma fala.

      Estou escrevendo algo bem do cotidiano e às vezes me esqueço que estamos em um mundo mágico como o de Pokémon. Por mais incrível que sejam suas ideias de um encontro épico com Solgaleo e Lunala, numa das descrições do Capítulo 1 explica que ela quis imitar as líderes de ginásio famosas e tentou colorir o cabelo, mas acabou descolorindo e ficou horrível kkkkkkkkkkkk Então, é algo completamente bobo e normal. Mas vai saber né, imagina se no final ela esconde mais segredos? Adoro as ideias dos leitores, vejo algumas que são melhores que as minhas kk :)

      Já está prevendo a treta maligna que vai dar com toda essa galera almoçando junto? Não duvide que a Mili bote todo mundo para fora, incluindo o Hal e o pobre Popplio kkkk

      Ahhhhhhh, não fiquem falando para eu fazer o resto das Artworks! A ideia era fazer só aquela que eu postei mesmo, aí quando vocês pedem eu fico na vontade de desenhar cada personagem e criar uma ficha para eles também, quem sabe acabo trazendo até umas cenas extras e ilustrações diversas! Valeu pela presença, Fael! :3

      Excluir
  5. Tô rindo pacas lendo a fic!Tá muito massa mano!Irado!

    Acredita que mal introduziu os surfistas e já shippo eles com a Mili?Sim,eles.

    Bem,só passei pra dizer que foi um ótimo cáp e bem,não comentarei muito mais pois tô com preguiça.

    Falou!

    Ass:

    Supremo Líder da Ordem Da-Qual-Fazem-Parte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Sir! Pior que quando eu planejei a fanfic eu podia jurar que acabaria fazendo algo muito, mas muito dramático. Conforme o roteiro foi seguindo percebi que a naturalidade dos fatos acabariam sendo bem mais divertidos, até por causa dos personagens que acompanham o Hal nessa jornada. Se pararmos para notar, Hal é o que aparenta ser o mais triste, Ika e Uko vieram só pela comédia enquanto Mili e Kai são de romance tão fofo que chega a ser cômico. Ainda não faço ideia de como o roteiro vai progredir, estou adorando esse ritmo tão gostoso e pretendo manter assim, mas sinto que de alguma forma ainda estaremos ligados ao drama lá para o fim...

      Hmmmmmmmmmmmmmm, Mili sendo shippada com dois ao mesmo tempo? ADORO! ( ͡° ͜ʖ ͡°) Agradeço pela presença por aqui, companheiro! Iraaaaaado~

      Excluir
    2. Cara,acredita que eu fui fazer uma fanart de um dos irmãos,que não lembro se foi o Ika ou o Uko,que ficou bem bacana,com o único defeito sendo a falta do bigode e barbicha?

      Excluir
    3. É meio difícil decorar quem é quem mesmo, eu me confundi bastante quando os criei numa madrugada de insônia, acho que é são dessas notas mal dormidas que saem as ideias mais brisadas kkkk

      Se for o que tem o bigodinho e o blackpower é o Ika, gosto muito da aparência dele. O Uko já é um pouco mais repetitivo porque ele lembra uma forma mais casual do Coffey kkkkkkk Que maneiro que você fez uma fanart dele cara, não imaginei que fosse ter algo do tipo aqui para Alola também, tanto é que eu nem pretendia lançar uma área de Fanarts nem nada! Se quiser manda para o meu e-mail cara, dá pra postar lá em Sinnoh também :)

      Excluir
  6. Se tudo der certo,eu envio pra você a fanart.

    ResponderExcluir
  7. Ah Canas ( ͡° ͜ʖ ͡°)
    Canas, Canas. ( ͡° ͜ʖ ͡°)
    TRIANGULO AMOROSO? ADOREI. QUE COISA LINDA MON DIEU.
    Eu estou muito ansiosa pelo capítulo 4 ( ͡° ͜ʖ ͡°)
    NÃO. MEU OTP JÁ FOI FORMADO! ̶a̶ ̶n̶ã̶o̶ ̶s̶e̶r̶ ̶q̶u̶e̶ ̶a̶l̶g̶o̶ ̶a̶c̶o̶n̶t̶e̶ç̶a̶,̶ ̶c̶l̶a̶r̶o̶
    Essas duas tias dão conta uma da outra. ( ͡° ͜ʖ ͡°)
    "Conta"
    KHDIUWANUIFHUISNIUXNSDUICHZINXKSDVOIXNXUSIDBZUXCSUCNUZXCBZICNERYGAÇLXMAHMONDIEU KSANXSAKCJBDCKJD
    É ótimo rever sua escrita! Espero mais caps =3
    Cyao!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, White por aqui nas bandas de Alola também! É como reviver os tempos em que uma tal de WV ia lá em Sinnoh e ainda comentava com um perfil anônimo! Assim vocês me matam de nostalgia kkkkkkkk

      Ah, mas essa carinha é vida ( ͡° ͜ʖ ͡°) Como não pensar em você quando alguém usa? kk O QUE? ALGUÉM DISSE TRIÂNGULO? Por algum motivo eu sentia que a Kai tinha a sua cara, e para ser bem sincero eu morria de vontade que você lesse para ver algum comentário seu por aqui. Agora sei que a acertei na moça e na aparência, tanto que ela ganhou fanart sem nem termos inaugurado a galeria por aqui! kkkkkkkkk E a propósito, vi sua fanart e logo mais comentaremos sobre isso, só digo que adorei ( ͡° ͜ʖ ͡°)

      Obrigadão, de verdade, é uma das minhas maiores felicidades ver essa galera das antigas voltar, desde os que nos acompanham dentro da Aliança até aqueles que por algum motivo acabam caindo no blog de vez em quando só para dar uma olhadinha <3 VOLTE SEMPRE!

      Excluir

- Copyright © 2016 - 2017 Aventuras em Alola - Escrito por Doritos-men (Matheus) - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -